COMO SURGIU ESSE BLOG

Adoro um bom papo com amigos e, por diversas vezes, me vejo na função de psicológa, terapeuta, consultora profissional, sentimental e até sexual!

E de tanto ouvir as histórias de meus amigos e contar as passagens hilárias e inusitadas da minha vida, principalmente a sexual - que eles adoram, para descontrai-los ou até mesmo encontrar soluções para auxiliá-los, resolvi escrever um livro, que já está quase (não consigo sair do quase...) pronto.

Mas, enquanto o livro não fica pronto estarei por aqui para dividir com vocês um pouco das histórias de minha vida, inclusive a "agitada vida sexual". Quem sabe brincando eu também não possa ajudá-los a descontrair, assim como faço com meus amigos!!!

sábado, julho 09, 2011

O Ponto C do Orgasmo

O principal ponto de prazer sexual do corpo está bem distante dos órgãos sexuais e, até mesmo, do tal ponto G. É a partir do cérebro que pode se chegar ao ápice do prazer. Segundo os especialistas, o cérebro é o responsável por toda a sensação de bem-estar gerada no orgasmo. “O desejo começa numa área primitiva do cérebro, no encéfalo. A partir de então é que o desejo, de tudo aquilo que se vivenciou, manda um impulso para a parte superior do cérebro. Podemos afirmar que o principal órgão sexual humano é o cérebro”, atesta a neurologista comportamental Cláudia Klein. 

Prova disso é que, em alguns casos, não é preciso estimulação direta para chegar ao orgasmo. Já foi comprovado que o prazer sexual pode ocorrer sem nenhuma estimulação direta, como ocorre nos sonhos, por exemplo. Isso não quer dizer que o toque das zonas erógenas não tenha sua parcela de contribuição. Tem sim. Só que diferente do que muitos pensam, não está relacionado apenas às regiões genitais. Fica a cargo dos neuropeptídeos enviar as informações contidas nas zonas erógenas do corpo para o cérebro. A recompensa vem através da ativação de certas reações físicas, como a lubrificação e a alteração na frequência cardio-respiratória.

Esse estímulo sensorial pode ser desencadeado de várias formas. Não existe uma rota única para o prazer. Além dos órgãos sexuais, uma infinidade de outras regiões pode ser estimulada para se chegar ao orgasmo. Conhecer bem o seu corpo é fundamental para essa conquista. De acordo com o terapeuta sexual e presidente da Associação Cearense de Sexologia, Federico Fichera, muitas mulheres chegam à maturidade sem ter conhecimento do próprio corpo. “O homem é estimulado eroticamente desde a infância. Já na mulher, é bem diferente, como os genitais estão mais escondidos, acaba levando ao desconhecimento do próprio corpo”, afirma. Dessa forma, a resposta feminina ao prazer acaba sendo mais lenta aos estímulos.

Busca por sintonia
Outras questões também estão relacionadas ao encontro do orgasmo. A falta de sintonia entre os parceiros, a pressa e a indisposição podem interferir na qualidade do sexo. Por isso, o diálogo entre os parceiros acaba sendo uma importante ferramenta para fortalecer o vínculo sexual. O corpo feminino está cheio de possibilidades erógenas, basta ao parceiro encontrá-las. 
O Ciência & Saúde dessa semana traz à tona os prazeres sexuais e a influência do cérebro na busca pelo orgasmo.